Quem promove um ar interior mais limpo: plantas ou purificadores?

O que limpa melhor o ar: plantas de interior ou purificadores de ar? Vamos poupar-lhe o suspense: se a limpeza do ar fosse uma corrida, os purificadores de ar sempre venceriam.

Mas então por que centenas de artigos propõem as melhores plantas para purificar o ar? Por que há uma palestra no TED sobre isso? 

Infelizmente, quase todo esse movimento começou com um único estudo de 1989 cujos resultados, embora tecnicamente precisos, foram terrivelmente deturpados.

Em 1989, o cientista da NASA Dr. BC Wolverton estava teorizando sobre uma maneira eficiente de energia para evitar o acúmulo de poluição do ar dentro de ônibus espaciais, estações espaciais e “habitats espaciais futuros”. Ele e sua equipe realizaram uma série de experimentos usando algumas plantas domésticas comuns. Ele colocou essas plantas em pequenas câmaras e injetou benzeno, tricloroetileno ou formaldeído nas câmaras; a equipe mediu a rapidez e a profundidade com que as plantas filtravam esses compostos orgânicos voláteis. 

Houve alguns resultados interessantes (mas dificilmente extraordinários) nesse experimento. Por exemplo, a Gerber Daisies conseguiu remover 67,7% do benzeno em 24 horas. No entanto, embora as plantas tenham ajudado a remover COVs mais rapidamente, isso não significa que elas foram realmente rápidas. O lírio da paz foi o melhor na remoção de tricloroetileno, mas conseguiu apenas 23% em 24 horas. Para um COV tão perigoso, isso realmente não ajuda muito.

Recentemente, um artigo da Universidade Drexel de 2020 reanalisou 12 estudos nos quais as plantas supostamente purificavam o ar. Eles descobriram que, uma vez convertidos os resultados para uma classificação métrica CADR, a capacidade da planta de limpar o ar em sua casa praticamente desapareceu. (Como lembrete, CADR significa Taxa de Entrega de Ar Limpo .)

Cada planta de casa analisada pelo jornal tinha uma classificação CADR significativamente inferior a um metro cúbico por hora. Para comparação, a classificação CADR de um purificador de ar médio é de 100 metros cúbicos por hora.

De acordo com a National Geographic , esses resultados significam que você precisaria de 10 plantas para cada metro quadrado de espaço para ter uma esperança de impactar o meio ambiente de maneira significativa. Mesmo se você fosse capaz de fazer isso, sua casa ou empresa teria problemas de pragas e umidade junto com a qualidade do ar ligeiramente melhorada.

Outros contaminantes

As plantas se saem um pouco melhor com relação à filtragem de material particulado interno. De acordo com um estudo de Pequim , “se uma folha tem uma microestrutura significativa, como uma superfície áspera, pubescência e uma protuberância sulcada, óleos de muco e pecíolos curtos, ela pode reter um grande número de partículas”.

No entanto, o Dr. Gall lembra os leitores (no artigo da Atlantic acima mencionado) para comparar a área da superfície de uma planta de casa com a superfície de tudo em uma casa ou escritório. Em outras palavras, as plantas podem ser eficientes na captura de partículas por centímetro quadrado, mas uma estante empoeirada provavelmente está capturando muito mais particulados no total.

Importante ressaltar que de fato existem plantas que podem melhorar significativamente a qualidade do ar; o único problema é que não se trata de plantas de interior.

Vários estudos determinaram que árvores e arbustos ao ar livre coletam uma quantidade significativa de material particulado. De acordo com o artigo da National Geographic citado anteriormente, uma barreira de árvores ao redor dos edifícios pode aumentar significativamente a qualidade do ar interno, impedindo que partículas se infiltrem no prédio.

Como o referido estudo de várias espécies de plantas em Pequim coloca, “A presença de plantas aumenta a rugosidade da superfície da terra, resultando em velocidades de vento mais baixas e permitindo que as partículas atmosféricas sejam depositadas mais facilmente […] árvores e arbustos podem reduzir eficientemente o material particulado tanto perto do solo quanto mais perto das copas”.

O que fazer

O que você preferiria fazer: cultivar uma selva para retornos mínimos em QAI ou instalar um único filtro de ar para uma redução de 99,97% no material particulado? Afinal, os verdadeiros filtros HEPA removem 99,97% das partículas que passam.

Quanto aos COVs, a tecnologia ActivePure pode reduzi-los muito bem (junto com a redução de mofo e patógenos). Um laboratório testou nossa tecnologia em quatro COVs comuns. Após o teste, o formaldeído foi o mesmo que os níveis médios do ar externo. Verificou-se que o tolueno era muito mais baixo do que os níveis ao ar livre. Enquanto isso, acetaldeído e benzaldeído não foram detectados. (Fonte: “Fighting Viral Spread with Air Purification Technology” por Avisha NessAiver, Medstartr Direct.)

Se a tecnologia ActivePure sozinha produz tais resultados, quando combinada com um filtro de carvão ativado e um filtro HEPA o ganho em QAI é absolutamente melhor. E é exatamente isso que os equipamentos ActivePure promovem.

Depois de instalar uma unidade ActivePure com filtros HEPA e de carvão, nada impede de você querer cultivar suas plantas. No entanto, quando se trata de creditar a qualidade do ar resultante, não se engane. O purificador fará a maior parte do trabalho.