Poluição odorífera: fragrâncias podem ser uma ameaça à saúde em ambientes internos

Odores desagradáveis ​​como o de fumaça, por exemplo, costumam ser um sinal de potenciais riscos para a saúde humana. E se dissermos que os odores agradáveis também são?

Enquanto muitos acreditam que fragrâncias são um sinal de ambiente limpo e saudável, na verdade é justamente o contrário: por mais agradáveis que possam parecer, produtos com fragrâncias geram e emitem uma complexa mistura de componentes químicos (Compostos Orgânicos Voláteis, ou simplesmente Covs) que poluem o ar de ambientes internos, sendo alguns deles até cancerígenos.

Odores podem ser originados de forma natural, como o cheiro de uma flor ou um pão recém assado. Covs produzidos naturalmente por animais, plantas e microorganismos, são mais especificamente chamados de compostos orgânicos voláteis biogênicos (BCovs).

Já os Covs artificiais são produzidos pelo homem e são emitidos por milhares de materiais diferentes, como produtos de limpeza, tintas de parede, vernizes de móveis e odorizadores de ambientes

Os Covs também são emitidos no ar por muitos itens domésticos e de escritório, como materiais de construção, colchões, madeiras de compensado, impressoras, carpetes e cortinas.

De acordo com a EPA, a agência americana de saúde, a concentração de Covs artificiais é geralmente duas a cinco vezes maior nos ambientes internos. Pesquisadores da agência também descobriram que alguns Covs podem permanecer no ar interno por várias horas em níveis até 1.000 vezes maiores que ao ar livre. 

Um estudo publicado na revista Science em 2018 constatou que o uso de produtos perfumados (que incluem itens como perfumes, sprays de cabelo, odorizadores de ar e tintas) emite a mesma quantidade de vapores químicos que a queima de combustíveis nos veículos – embora 15 vezes mais petróleo seja queimado no último caso.

Risco à saúde

O perigo dos COVs para a saúde humana varia muito dependendo do produto químico específico e do nível de exposição. No entanto, muitos COVs podem causar problemas sérios de saúde, especialmente se uma pessoa for exposta a níveis altos ou mesmo baixos por um longo período, que é o caso de quem passa 8 horas diárias trabalhando em um escritório.

Um dos Covs nocivos mais famosos é o benzeno, um conhecido agente cancerígeno, que é emitido pela fumaça do cigarro, combustíveis e tintas. Outros Covs muito comuns nos ambientes internos são o formaldeído, acetaldeído, tolueno, etilbenzeno e xilenos. 

Os sintomas de exposição alta e de curto prazo aos COVs incluem irritação nos olhos, nariz e garganta, dores de cabeça , náuseas ou vômitos, tontura ou agravamento dos sintomas da asma. A exposição a Covs por muitos anos em níveis altos ou mesmo baixos pode levar a câncer, danos no fígado, nos rins ou no sistema nervoso.

Como reduzir os níveis de Covs no ambiente?

Ao contrário das partículas transportadas pelo ar, não é possível barrar compostos orgânicos voláteis com um filtro HEPA, recurso mais utilizado para purificar o ar em ambientes internos.

Se o ambiente for de fácil ventilação, aumentar a quantidade de ar fresco ajudará a reduzir a concentração de COVS em ambientes fechados. Aumente a ventilação abrindo portas e janelas. Pode-se ainda utilizar ventiladores para maximizar o ar trazido de fora.

Já ambientes fechados como edifícios corporativos, podem contar com a eficiência de tecnologias de purificação do ar como ActivePure, que eliminam a grande parte de compostos orgânicos voláteis do ambiente.

Após testes científicos realizados nos EUA, constatou-se que ActivePure baixou os níveis de formaldeído a patamares iguais aos de ambientes abertos. Verificou-se também que a presença de tolueno era muito mais baixa do que ao ar livre. E finalmente, acetaldeídos e benzeno não foram detectados. (Fonte: “Fighting Viral Spread with Air Purification Technology” por Avisha NessAiver, Medstartr Direct.).

Para mais informações sobre ActivePure, contate a Ecoquest, distribuidora exclusiva da tecnologia no Brasil.

Fontes:

https://www.science.org/doi/10.1126/science.aaq0524

https://www.livescience.com/what-is-voc

https://www.health.state.mn.us/communities/environment/air/toxins/voc.htm

https://www.epa.gov/sites/default/files/2015-09/documents/view_indoors_odors.pdf