Iniciativa da Casa Branca foca em melhorias da qualidade do ar interno

Programa batizado de ‘Clean Air in Buildings Challenge’ enfatiza que o ar interno mal ventilado representa o maior risco de infecções por coronavírus, pedindo que escolas, empresas e proprietários tomem medidas para melhorar a qualidade do ar – algo que ajudará a evitar futuros surtos, de acordo com cientistas.

Quando a Organização Mundial da Saúde comunicou em julho de 2020 que o vírus responsável pela pandemia de Covid-19 se espalhava por transmissão em aerossol, e não por gotículas transportadas em um raio de 1,8mts , como se acreditava inicialmente, os Centros de Controle de Doenças americanos hesitaram em emitir a mesma orientação.

Apesar de necessários para a saúde e segurança a longo prazo, os custos e complicações para lidar com essas novas descobertas seriam muito mais desafiadores do que o distanciamento social, o uso de máscara e lockdowns.

Agora, com a pandemia sob relativo controle, o governo americano acaba de anunciar o programa Clean Air In Buildings Challenge como parte do Plano de Resgate Americano pós-covid, que irá injetar 472 bilhões em infraestrutura, incluindo as atualizações sugeridas em qualidade do ar interno.

“Embora existam várias estratégias para evitar a inalação de partículas de vírus em aerossol (como o uso de máscaras, por exemplo), podemos e devemos falar mais sobre como tornar ambientes internos mais seguros, filtrando e descontaminando o ar”, explicou o Dr. Alondra Nelson, chefe do Escritório de Política Científica e Tecnológica da Casa Branca, em uma postagem no blog da Casa Branca, do dia 23 de março.

O ‘Desafio’ lançado inclui um guia com quatro recomendações baseadas em design de bem-estar, usando um guia de práticas recomendadas da Agência de Proteção Ambiental para proprietários e gerentes de edifícios:

  1. Monitoramento: Crie um plano de ação que avalie a qualidade do ar interno, planeje atualizações e melhorias e inclua inspeções e manutenção de HVAC;
  2. Ventilação: Otimize a ventilação de ar fresco aumentando a circulação;
  3. Filtragem e Desinfecção: Melhore a filtragem e a limpeza do ar usando o sistema HVAC central e dispositivos de desinfecção;
  4. Conscientização: comunique as ações para envolver os ocupantes do edifício e aumentar o compromisso e a participação.

À medida que os governos estaduais e municipais começam a revogar o uso de máscaras, especialistas dizem que melhorar a qualidade do ar interno é cada vez mais essencial como ferramenta para conter os riscos de coronavírus.

“É importante que isso se torne uma medida de controle passiva – passiva no sentido de que não exige que as pessoas façam nada”, disse Joseph Allen, diretor do programa Edifícios Saudáveis ​​da Escola de Saúde Pública TH Chan da Universidade de Harvard. “Esses recursos não exigem que você use uma máscara, ou use uma boa máscara ou use-a corretamente. Eles estão operando em segundo plano o tempo todo.”

Via New York Times e Forbes