Descontaminação do ar: a diferença entre tecnologias passivas e ativas 

O fenômeno da pandemia de Covid-19 levou muitas pessoas, principalmente gestores de facilities, a precisar entender como funcionam as tecnologias de descontaminação do ar. 

Já que esta doença, assim como muitas outras, se propaga principalmente pelo ar, nada mais natural que investigar possibilidades que mitiguem a contaminação de funcionários, clientes e demais stakeholders que frequentam as dependências da empresa. 

Nesse sentido, é essencial entender a diferença entre tecnologias ativas e tecnologias passivas de descontaminação do ar. 

Tecnologias Passivas 

Purificadores passivos são aqueles que dependem que o microrganismo nocivo à saúde passe pelo aparelho para que seja assim eliminado.

Os mais conhecidos são os filtros HEPA (High Efficiency Particulate Air). Os filtros HEPA são geralmente feitos de fios de fibra de vidro com 1/75 do tamanho de um fio de cabelo humano

Essas fibras capturam partículas grandes simplesmente porque essas partículas são grandes demais para passar entre as fibras. E capturam pequenas partículas porque o movimento browniano (o movimento aleatório natural das moléculas em um fluido) empurra essas pequenas partículas para dentro das fibras, onde elas se prendem. 

Para ser classificado como um verdadeiro HEPA, o filtro deve remover “pelo menos 99,97% de poeira, pólen, mofo, bactérias e quaisquer partículas transportadas pelo ar com tamanho de 0,3 mícron (µm)”, de acordo com as agências de saúde. 

Os filtros HEPA também têm uma classificação MERV (Minimum Efficiency Reporting Value) que mede a porcentagem de partículas que capturam entre 0,3 e 10 mícron.  A EPA americana recomenda que os filtros domésticos tenham uma classificação MERV de pelo menos 13 , se o sistema HVAC puder acomodá-lo. Para se qualificar como um filtro HEPA, no entanto, o filtro deve ser MERV 17 ou superior. 

O carvão ativado é outra tecnologia passiva de purificação do ar (e da água) bem estabelecida. Ele funciona deixando os gases aderirem à sua superfície, purificando gases e odores, embora sua eficácia varie de acordo com o tipo e a concentração de gás.  

Já a luz ultravioleta germicida funciona de duas maneiras. A primeira usa um purificador portátil ou o sistema HVAC existente para bombear o ar através de uma luz UV. O segundo método é chamado Upper Room Germicidal UV, que ilumina as lâmpadas UV parcialmente blindadas em direção ao teto e espera que as correntes de ar naturais da sala passem o ar pelas lâmpadas. Ambos os métodos teoricamente esterilizam o ar, liberando-o de bactérias e vírus. Porém, não atuam contra poeira, material particulado ou gases nocivos. 

Tecnologias Ativas 

Ao contrário dos purificadores passivos, que exigem que o ar passe por seu mecanismo, os purificadores ativos visam tratar o ar antes que as pessoas respirem os contaminantes. Por esta razão, acreditamos que alguns purificadores ativos são superiores à maioria dos purificadores passivos. 

O Ozônio é um importante agente ativo de descontaminação do ar, muito usado em edifícios que sofreram danos por incêndio, fumaça ou inundação. É muito bom para eliminar os odores. Também pode neutralizar bactérias, mofo e vírus, incluindo o vírus que causa o COVID-19 . Sua maior desvantagem é não ser recomendada a sua aplicação em salas ocupadas, dada sua toxicidade.

Ionizadores ativos usam um eletrodo para carregar moléculas de ar, gerando íons. Esses íons são enviados para a sala (com as correntes de ar naturais ou através de um ventilador) e se agarram às partículas no ar, carregando-as. Essas partículas carregadas são atraídas por outras partículas, aglomerando-se para formar partículas maiores. Essas novas superpartículas são grandes demais para permanecer no ar e caem nas superfícies da sala. A principal desvantagem da ionização é que ela não elimina o contaminante.

A Oxidação Fotocatalítica é um método de descontaminação ativa do ar que produz oxidantes naturais, baseados em oxigênio e hidrogênio, sendo o principal deles o Peróxido de Hidrogênio (H2O2) em forma gasosa, que realizam a descontaminação microbiológica constante. A PCO tende a produzir subprodutos indesejáveis, como ozônio (da lâmpada UV) ou formaldeído (possivelmente da decomposição incompleta de COVs ou metano). O PCO não age contra poeira, alérgenos ou partículas. 

Fotocatálise avançada 

A fotocatálise avançada funciona com o mesmo princípio da PCO, mas os desenvolvimentos na forma da célula, na composição do catalisador e no revestimento do bulbo evitam a formação de subprodutos indesejáveis. 

Purificadores avançados de fotocatálise são extraordinários na redução de patógenos no ar. Estudos mostram que esses purificadores reduzem 99,99% dos vírus, bactérias e mofo em minutos. Em condições de laboratório, reduziu 99,9% do vírus que causa a COVID-19 em três minutos. 

Esta é a tecnologia por trás da linha ActivePure, apontada em 2022 como uma das inovações mais importantes no combate a crises sanitárias. 

Reduzindo 99,9% em 30 minutos ou menos de: 

  • Vírus de RNA do bacteriófago MS2, que é um vírus não envelopado e, portanto, muito mais difícil de inativar do que o SARS-CoV-2, cujo envelope é mais vulnerável
  • Vírus de DNA bacteriófago PHI-X174, um substituto para hepatite C e HIV. 
  • Staphylococcus epidermidis bactérias gram-positivas, substitutas para resistentes à meticilina  
  • Staphylococcus Aureus (MRSA), uma das principais causas de infecções hospitalares. 
  • Erwinia herbicola bactéria gram-negativa, substituta da bactéria que causa a peste negra. 
  • Molde fúngico Aspergillus niger, a causa da Aspergilose. 
  • Endósporo bacteriano de Bacillus globigii, que geralmente é considerado um dos patógenos mais difíceis de neutralizar . A tecnologia ActivePure reduziu as concentrações em 99,98% em 30 minutos.  

Embora a fotocatálise avançada de ActivePure seja complementada com um filtro HEPA, é essencial lembrar que a descontaminação não ocorre apenas quando o ar passa pelo filtro, mas muito antes, protegendo os ocupantes do ambiente em tempo real e reduzindo drasticamente as chances de contaminação. 

Fontes: 

https://blog.activepure.com/11-air-filtration-technologies/

https://www.realclearhealth.com/articles/2021/06/09/beating_tomorrows_virus_today_111218.html