Testes nos EUA confirmam eficácia da tecnologia IRC contra cepa de Coronavírus

Testes realizados há poucos dias por laboratórios credenciados ao FDA (Food and Drug Administration) em parceria com a Aerus, trouxeram ótimas notícias no que se refere ao combate do coronavírus.

Os estudos em laboratório demonstraram que a tecnologia IRC (Ionização Rádio Catalítica) foi capaz de eliminar, em apenas 15 minutos, 99,99% dos patógenos do tipo RNA, da mesma cepa do Coronavírus.

Os testes foram realizados utilizando o vírus MS2, um tipo de organismo com a mesma estrutura celular que o Coronavírus. Segundo os cientistas, se a tecnologia é capaz de eliminar o MS2, também será capaz de inativar o coronavírus.

A tecnologia IRC, patenteada pela NASA e oferecida no Brasil pela Ecoquest, se baseia nos princípios ativos do poder da luz sobre os metais nobres catalisadores, que reagem com a água e com a umidade ambiental. Dessa reação, são geradas espécies ativas de depuração sanitária do ar, ecológicas e naturais, baseadas no oxigênio e no hidrogênio, e capazes de destruir potentes poluentes químicos, microbiológicos e gasosos, que trazem risco para a saúde humana.

A implantação do sistema de purificação IRC nos aparelhos de ar condicionado central dos prédios mostra-se cada vez mais como uma medida primordial de segurança sanitária.

Na crise da gripe aviária, em 2006, a tecnologia IRC da Ecoquest apresentou resultados na inativação do vírus e foi amplamente utilizada em ambientes com grande circulação de pessoas como os aeroportos.

Já em 2009, na crise da gripe suína, foi produzido novo estudo científico preliminar demonstrando a inativação do vírus em poucas horas. Hospitais nos EUA e no Brasil adotaram a tecnologia nos prontos atendimentos e gripários para prevenir o contágio.

A tecnologia IRC é oferecida com exclusividade no Brasil pela Ecoquest. Desenvolvida e patenteada pela Nasa, a agência espacial Americana, a solução IRC é usada para garantir a qualidade do ar interno nas naves e estações espaciais.

A estratégia da Nasa foi agregar tecnologias diferentes em um só sistema. Sendo assim, a luz ultravioleta germicida reage com água e a umidade ambiental, gerando espécies ativas de depuração sanitária no ar, baseadas no oxigênio e no hidrogênio, capazes de destruir o vírus da gripe entre outros micro-organismos (bactérias, fungos, etc). A vantagem é que esse sistema de depuração é ecológico, natural e não oferece risco algum para a saúde humana, de animais ou mesmo de plantas.

Neste momento delicado precisamos entender que cada atitude, desde uma simples lavagem de mãos até a utilização de tecnologias avançadas de prevenção, são fundamentais para se evitar novos surtos.

Abaixo, os gráficos com os resultados do estudo, recebido pela Ecoquest: