O Globo: ‘Filtragem’ do ar com tecnologia da Nasa ajuda a reabrir comércio e escritórios

Ecoquest foi destaque em matéria do jornal O Globo, confira:

23/07/2021 • 07:00
Por Denyse Godoy, especial para Capital


Conforme avança a vacinação contra a covid-19 no Brasil, empresas de todos os setores aceleram os preparativos para voltar a receber funcionários e clientes. Mais procurada entre as medidas usadas para sanitizar os ambientes, a descontaminação do ar ganhou uma tecnologia que destrói o novo coronavírus.

Companhias tão diversas quanto a mineradora Vale, o restaurante paulistano Tatá Sushi e o hotel Hilton São Paulo estão utilizando a Ionização Rádio Catalítica (IRC) para reduzir os riscos de contágio em suas dependências. A IRC foi desenvolvida pela Nasa, a agência espacial americana, para manter limpo o ar nas estações que orbitam o planeta.

Na Terra, funciona com um pequeno equipamento que pode ser instalado nos aparelhos de ar condicionado e emite uma luz ultravioleta germicida que reage com água e a umidade do ambiente criando partículas baseadas no oxigênio e no hidrogênio que são capazes de eliminar vírus de gripes, da covid-19 e de alguns tipos de bactérias e fungos.

A possibilidade de transmissão da covid-19 pelo ar passou a ser considerada maior do que a de contaminação por contato pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Os riscos são ainda mais elevados em lugares fechados que recebem grande número de pessoas. Frequentar um bar e comer em um bufê, por exemplo, são consideradas atividades com risco de contágio 9 em uma escala de 1 (menos perigosa) a 10 (mais perigosa), segundo estudo da Associação Médica do Texas.

Para Henrique Cury, presidente da Ecoquest, única empresa a oferecer a tecnologia no país, a demanda pela sanitização do ar veio para ficar. “A transformação de espaços em ambientes saudáveis fará parte do novo normal, o que inclui, sobretudo, a qualidade do ar que respiramos”, diz Cury.

Desde o início da pandemia, em março do ano passado, a Ecoquest tratou o ar de mais de 1,1 milhão de metros quadrados de espaços comerciais. Metade desse total foi de escritórios corporativos. Registrou, em 2020, um crescimento de 100% no faturamento, e prevê manter o ritmo de expansão em 2021.