Nova geração da tecnologia IRC é cinco vezes mais eficaz

A Ecoquest lançou neste mês de setembro, a terceira geração de produtos para descontaminação do ar de ambientes internos. Entre eles está a linha de descontaminação fotocatalítica por meio da tecnologia IRC (Ionização Radio Catalítica). Usada em sistemas de ar condicionado central é indicada para hospitais, hotéis e edifícios comerciais. O novo sistema IRC teve sua eficiência testada e validada pelos laboratórios do FDA (Food and Drug Administration), a agência americana similar à brasileira Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

De acordo com o diretor geral da Ecoquest, Henrique Cury, a tecnologia IRC atual é bem mais eficaz que as anteriores pela velocidade com que é capaz de eliminar fungos, vírus e bactérias. ““A terceira geração desse sistema consegue eliminar o mesmo número de micro-organismos que a anterior em um tempo cinco vezes menor”, explica o executivo que também é membro do Qualindoor, Departamento Nacional de Qualidade do Ar Interno da ABRAVA (Associação Brasileira de Refrigeração, Ar Condicionado, Ventilação e Aquecimento).

A Ionização Radio Catalítica (IRC) é uma tecnologia ativa, que emite oxidantes naturais e ecológicos no ambiente, ao contrário dos filtros, que agem passivamente, ou seja, necessitam que as impurezas passem por dentro deles para produzirem algum efeito. Os oxidantes, baseados no oxigênio e no hidrogênio, são eficientes na redução de odores, fumaças e carga microbiológica no ar e nas superfícies.

Além de ser um sistema ecológico, a Ionização Rádio Catalítica promove economia de energia pela necessidade menor de renovação do ar interno dos ambientes. Segundo Cury, cerca de 60% do consumo de energia de uma edificação vem dos sistemas de ar-condicionado. “Com essa tecnologia, podemos reduzir em até 40% o gasto de energia com ar-condicionado. Portanto, podemos chegar a uma redução de aproximadamente 20% a 25% da conta total de energia de um edifício com o uso dessa tecnologia e o devido monitoramento dos parâmetros da qualidade do ar”, afirma.