Coronavírus, cultura corporativa e responsabilidade social

A crise do coronavírus veio para virar nossa vida de cabeça para baixo, pondo à prova a capacidade de resiliência tanto das pessoas quanto das empresas.

Também pudemos sentir em que medida a cultura corporativa foi importante para reagir a uma crise. Empresas que já cultivavam um vínculo de maior confiança com seus colaboradores, permitindo o trabalho remoto por exemplo, saíram na frente em termos de adaptação.

Mas afinal, o que é exatamente cultura corporativa? A cultura corporativa engloba todos os hábitos, políticas, valores e códigos de conduta dentro de um negócio. Ela é uma ferramenta poderosa de administração e também de motivação, pois ajuda cada colaborador a se adaptar ao ambiente corporativo, tendo como foco a criação de um ecossistema positivo, favorável ao bem estar e em última instância, à produtividade.

Nos últimos 10 anos pudemos testemunhar o surgimento de empresas com culturas corporativas bastante modernas, adotando medidas como horários flexíveis, possibilidade de home office, ambientes de trabalho mais confortáveis e até voltados ao lazer.

Mas com o advento da pandemia, esse bem estar se voltou às premissas mais básicas: a saúde dos colaboradores é agora o ponto focal, e a maneira de garantir essa segurança mudou completamente, muito provavelmente para sempre. Hoje não basta oferecer ambientes bem decorados e aparentemente limpos. A organização precisa adotar políticas minuciosas de limpeza contra um perigo invisível a olho nú.

A cultura corporativa também foi amplamente influenciada pela ideia de responsabilidade social, principalmente na área de meio ambiente. Mas enquanto algumas empresas optam por desenvolver políticas consistentes, outras recorrem ao famoso “greenwashing” ou “socialwashing”, que podem servir como uma bela maquiagem para quem está de fora, mas que têm mínimo ou nenhum impacto internamente, em termos de cultura corporativa (aliás, o impacto seria negativo).

Para realmente se preparar para as mudanças em nosso mundo (aquecimento global, crise da biodiversidade, crises sociais, de saúde ou econômicas) e atender as necessidades internas, as organizações precisam ir muito além do que é preconizado, recomendado ou ditado por lei. Elas precisam fazer mais e estar preparadas para impactos maiores.

Incorporar esta nova mentalidade, oferecendo sustentabilidade e segurança microbiológica consistente aos clientes e colaboradores é, portanto, uma atitude necessária para dar suporte à cultura corporativa dos novos tempos, mantendo e até aumentando o vínculo de confiança dos stakeholders para com a corporação.

Ou seja, a pandemia de Covid-19 oferece uma grande oportunidade para as empresas mudarem para uma cultura de responsabilidade mais genuína e autêntica, contribuindo no enfrentamento dos desafios sociais e ambientais urgentes.